Sobre a Revista

Foco e Escopo

Publicar trabalhos inéditos na área de Ciência Política, especialmente a partir de dados e evidências decorrentes de pesquisas empiricamente orientadas. A revista aceita artigos para compor as seguintes seções:  Dossiê Temático; 2) Temas Livres;  3) Notas Metodológicas de Pesquisa em Ciência Política;  4)  Resenhas e, 5) Entrevistas nos idiomas: português, espanhol e inglês.  Não aceitamos artigos descritivos sem capacidade de inferências válidas.

 

Política de acesso livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, com vistas à difundir e democratizar o conhecimento.

 

Periodicidade

Teoria & Pesquisa: Revista de Ciência Política é uma publicação quadrimestral do Programa de Pós Graduação em Ciência Política da Universidade Federal de São Carlos. Publicação na versão eletrônica.

 

Arquivamento

Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes, permitindo a essas bibibliotecas criar arquivos permanentes para a preservação e restauração dos seus dados.

 

Política de Privacidade

A política de privacidade da Teoria & Pesquisa: Revista de Ciência Política tem por objetivo a proteção de todos os seus usuários, buscando garantir a proteção dos dados pessoais, da dignidade e dos direitos fundamentais de privacidade, intimidade, liberdade, honra e imagem do usuário. Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.

 

Ética e Publicação Acadêmica

O periódico prevê procedimentos éticos em todo o seu processo de editoria, da submissão, avaliação à publicação, não sendo admissíveis desvios de conduta acadêmica, quer seja da Equipe Editorial ou de seus Autores. Todos os casos que envolverem suspeitas de má conduta deverão ser investigados pelo periódico sob o mais alto padrão de rigor acadêmico e ético, a fim de que todas as dúvidas sejam dirimidas. Nessa direção, há o compromisso com a publicação de correções, esclarecimentos, retratações,  se necessário. Todos os Autores, Editores, e Revisores são estimulados a conhecer e seguir as orientações do Committee on Publication Ethics – COPE (http://publicationethics.org), as diretrizes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico  (http://www.cnpq.br/web/quest/diretrizes), bem como o manual de boas práticas da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (http://www.fapesp.br/boaspraticas/), em todas as etapas do processo de publicação.

 

Titulação mínima e taxas

A Teoria & Pesquisa: Revista de Ciência Política estabelece titulação mínima de mestrando para autores e coautores e não cobra nenhum tipo de taxa para submissão, processamento e publicação dos artigos.

 

Direitos Autorais

Os autores mantêm os direitos sobre o texto submetido e concedem à Revista a cessão integral e exclusiva dos direitos autorais para a primeira edição. Em se tratando de uma Revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, para fins educacionais e não-comerciais, desde que citada a fonte da publicação original. As ideias e opiniões expressas no texto submetido são de exclusiva responsabilidade do autor, não refletindo, necessariamente, as opiniões da revista. Após a primeira publicação, o autor tem autorização para assumir contratos adicionais, independentes da revista, para a divulgação do trabalho por outros meios (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), desde que feita a citação completa da mesma autoria e da publicação original. O autor de um texto já publicado tem permissão e é estimulado a distribuir o seu trabalho on-line, sempre com as devidas citações da primeira edição (Veja O Efeito do Acesso Livre).

 

Processo de avaliação pelos pares

A Teoria & Pesquisa: Revista de Ciência Política adota o processo de revisão por pares (anônimo para os revisores e para os autores).  O processo de avaliação ocorre em duas etapas. Na primeira, os manuscritos são examinados pelos editores para verificar se o artigo está de acordo com o escopo e aos aspectos formais especificados nas Diretrizes para Autores, relevância e originalidade do tema, adequação e densidade da abordagem teórico-metodológica utilizada e área de interesse do periódico. Se aprovado na avaliação inicial, os editores indicarão dois revisores ad hoc, os quais deverão emitir um parecer com a análise do texto segundo os critérios de relevância do conteúdo, consistência argumentativa, coerência teórica e metodológica, adequação estrutural e contribuições para o avanço do conhecimento na área. Os pareceristas podem: 

  • Aceitar para Publicação: O trabalho é aceito integralmente para publicação em um dos próximos números do periódico, segundo critério cronológico de conclusão do processo de análise.
  • Requerer Revisões: As modificações deverão ser realizadas pelo autor, que receberá o parecer com as referidas recomendações, devolvendo o trabalho reformulado no prazo estipulado e com as alterações realizadas marcadas em cor distinta para conferência. No caso de grande número de alterações solicitadas, o artigo será reencaminhado aos Editores e/ou revisores ad hoc, após a adequação pelo autor, para nova análise, podendo vir a ser aceito ou recusado.
  • Recusar: Recusa da publicação, com a devida justificativa dada pelo Editor, tomando como referência a análise de cada um dos revisores ad hoc, a qual é repassada aos autores, preservando-se a identidade dos revisores.

Caso o autor discorde do parecer recebido, poderá solicitar revisão à Editoria da revista, que, caso avalie como cabível a revisão, encaminhará a solicitação aos mesmos revisores, ou, a depender do caso, solicitará avaliação de outro revisor ad-hoc.

Os editores da Teoria & Pesquisa: Revista de Ciência Política reservam-se o direito de sugerir ao autor modificações de forma, a fim de adequar as colaborações ao padrão editorial e gráfico da Revista. Os textos, já diagramados, serão revisados pelos autores antes da publicação eletrônica. As afirmações e conceitos emitidos em artigos assinados são de total responsabilidade dos seus autores.

 

Deveres dos autores

Normas gerais: os autores de trabalhos que se referem a pesquisas originais devem apresentar um relato preciso do trabalho realizado, bem como uma discussão objetiva sobre o seu significado. Dados complementares devem ser representados com precisão no artigo. O documento deve conter detalhes suficientes e referências que permitam que outros possam replicar o trabalho. Declarações fraudulentas ou intencionalmente imprecisas constituem um comportamento antiético e são inaceitáveis.

Originalidade e plágio: os autores devem garantir que as obras são inteiramente originais e se eles utilizam o trabalho e/ou textos dos outros que isso seja devidamente citado. Plágio em todas as suas formas constitui um comportamento editorial antiético e é inaceitável.

Publicação múltipla, redundante e simultânea: um autor não deve publicar manuscritos que descrevam essencialmente a mesma pesquisa em mais de um periódico. Enviar o mesmo manuscrito para mais de uma revista ao mesmo tempo e/ou publicar o mesmo artigo em mais de um periódico constitui um comportamento editorial antiético e é inaceitável.

Sobre as fontes: o trabalho de outros autores deve sempre ser reconhecido. Os autores devem citar as publicações que foram importantes na determinação da natureza do trabalho relatado. As informações obtidas em particular, como em uma conversa, correspondência, ou discussão com terceiros, não devem ser utilizadas ou relatadas sem a permissão explícita por escrito da fonte. As informações obtidas por meio de serviços confidenciais, tais como arbitragem, manuscritos ou pedidos de bolsas, não devem ser utilizadas sem a permissão explícita por escrito do autor do trabalho envolvido nestes serviços.

Autoria e coautoria: a coautoria do trabalho deve ser restrita àqueles que fizeram uma contribuição significativa para a concepção, projeto, execução ou interpretação do estudo relatado. Pessoas que participaram em certos aspectos do projeto de pesquisa devem ser listadas como colaboradores, ao final do artigo ou em nota de rodapé. O autor principal deve garantir que todos os coautores apropriados estejam incluídos no artigo e certificar-se que todos os coautores viram e aprovaram a versão final do manuscrito e que concordaram com sua submissão para publicação.

Divulgação e conflitos de interesses: todos os autores devem divulgar no manuscrito qualquer conflito financeiro ou de outra natureza que possa influenciar os resultados ou a interpretação de seu manuscrito. Todas as fontes de apoio financeiro para o projeto devem ser divulgadas.

Erros fundamentais em trabalhos publicados: quando um autor descobre um erro significativo ou imprecisão em seu trabalho publicado é obrigação do autor informar imediatamente o editor da revista e cooperar com o editor para corrigir o artigo.

 

Deveres do Editor

Decisão de publicação: o editor é responsável por decidir quais artigos submetidos à revista devem ser publicados. O editor é guiado pelas políticas decididas pelo Conselho Editorial e pelo Comitê Editorial. Essas políticas devem obedecer às exigências legais em vigor sobre difamação, violação de direitos autorais e plágio. Para a tomada de decisões o editor pode consultar o Conselho e o Comitê Editorial.

Transparência e respeito: o editor deve avaliar os manuscritos submetidos sem levar em conta a raça, sexo, a orientação sexual, a crença religiosa, a origem étnica, a nacionalidade ou a posição política dos autores.

Confidencialidade: o editor e demais membros da equipe editorial não devem divulgar qualquer informação sobre um manuscrito submetido, a não ser aos pareceristas e os conselheiros editoriais.

Divulgação e conflitos de interesse: o editor não deve utilizar materiais inéditos divulgados em um manuscrito submetido em pesquisas próprias sem o consentimento expresso e por escrito do autor. O editor deve recusar avaliar os manuscritos em que tenha conflitos de interesse por questões competitivas, colaborativas ou outros relacionamentos ou ligações com qualquer um dos autores, empresas ou (possivelmente) instituições ligadas aos manuscritos.

Zelar pela garantia de uma avaliação por pares, parametrizada pela isenção e imparcialidade conformadas academicamente, o que implica em garantir o anonimato entre autores e revisores;

Garantir o anonimato de Revisores frente aos Autores;

Avaliar e investigar todos os casos e suspeitas de má conduta e falta de atitude ética, tais como plágio, interferência de interesses externos e a publicação de dados e resultados fraudulentos. Tais casos deverão ser investigados pelo periódico sob o mais alto padrão de rigor acadêmico e ético, a fim de que todas as dúvidas sejam dirimidas. Nessa direção, há o compromisso com a publicação de correções, esclarecimentos, retratações, assim como notas de preocupação, se necessário.

 

Deveres dos Pareceristas

Contribuição para as decisões editoriais: a revisão dos pareceristas auxilia o editor na tomada de decisões editoriais e por meio das comunicações com o autor também pode auxiliar o mesmo na melhoria do artigo.

Pontualidade: qualquer avaliador de artigo que não se sinta qualificado para analisar o artigo ou sabe que a sua leitura dentro do prazo sugerido não será possível deve notificar imediatamente o editor.

Confidencialidade: os trabalhos recebidos para análise devem ser tratados como documentos confidenciais. Eles não devem ser mostrados ou discutidos com os outros.

Padrões de objetividade: os pareceres devem ser conduzidos de forma objetiva. Os pareceristas devem expressar seus pontos de vista de maneira clara e apoiados em argumentos e na bibliografia especializada.

Sobre as fontes e bibliografia mobilizada: os pareceristas devem identificar trabalhos publicados relevantes que não foram citados pelos autores. Devem chamar a atenção do editor sobre qualquer semelhança substancial ou sobreposição entre o manuscrito em questão e qualquer outro artigo publicado de que tenha conhecimento pessoal.

Divulgação e conflito de interesses: O parecerista não deve avaliar manuscritos em que tenha conflitos de interesse por questões competitivas, colaborativas ou outros relacionamentos ou ligações com qualquer um dos autores, empresas ou instituições ligadas aos manuscritos.

 

Apoio

Programa de Pós-Graduação em Ciência Política ((PPGPOL)/UFSCAR